31 de janeiro de 2015

Soneto

Lord Frederick Leighton
Cheios de paz e cheios de doçura,
Dão-me os teus olhos tanta claridade
Que a minha tormentosa noite escura
Se rasga em Vias-lácteas de bondade!

E vou na trajetória da ventura,
E sigo a linha recta da verdade,
Por ti guiado, oh frágil criatura,
Tão forte em tua simples humildade!

Que o amor vos traga aonde o amor me trouxe,
Cegos que enveredastes pelo mal,
Pois nesta estrada chã, direita e doce,

A morte ajoelhará quando vier,
Ante a Vida, que a Vida é imortal,
Reflorindo num seio de mulher!

Cândido Guerreiro (1871–1953)

Nenhum comentário: