20 de dezembro de 2014

Trecho do livro n "Morte em Veneza"

Alphonse Mucha
“Não existe nada mais estranho e espinhoso do que a relação entre pessoas que só se conhecem de vista - que diariamente, mesmo hora a hora, se encontram, se observam e que têm assim de manter, sem cumprimentos e sem palavras, a aparência de desconhecimento indiferente, devido ao rigor dos costumes ou a caprichos pessoais. Entre elas existe inquietação e curiosidade exacerbada, a histeria da necessidade insatisfeita, anormalmente recalcada, de conhecimento e comunicação e, sobretudo também uma forma de consideração tensa. Pois o ser humano ama e respeita o outro ser humano enquanto não está em posição de julgá-lo e o desejo é produto de um conhecimento insuficiente”.
Thomas Mann (1875-1955),
Tradução: Maria Deling

Nenhum comentário: