16 de dezembro de 2014

Casa-Grande e Senzala

“Todo brasileiro traz na alma e no corpo
a sombra do indígena ou do negro”.

Gilberto Freyre (1900-1987)
Cícero Dias - Engenho
Casa Grande e Senzala
Grande livro que fala
Desta nossa leseira
Brasileira.

Mas com aquele forte
Cheiro e sabor do Norte
— Dos engenhos de cana
(Massangana!)

Com fuxicos danados
E chamegos safados
De mulecas fulôs
Com Sinhôs.

A mania ariana
Do Oliveira Viana
Leva aqui a sua lambada
Bem puxada.

Se nos brasis abunda
Jenipapo na bunda,
Se somos todos uns
Octoruns

Que importa? É lá desgraça?
Essa história de raça,
Raças más, raças boas
— Diz o Boas —

É coisa que passou
Com o franciú Gobineau.
Pois o mal do mestiço
Não está nisso.

Está em causas sociais,
De higiene e outras que tais:
Assim pensa, assim fala
Casa Grande e Senzala.

Livro que à ciência alia
A profunda poesia
Que o passado revoca
E nos toca

A alma de brasileiro
Que o portuga femeeiro
Fez e o mau fado quis
Infeliz!

Manuel Bandeira (1886-1968)

Nenhum comentário: