30 de dezembro de 2014

A Era do Eixo

Donato Bramante - Heráclito chorando e Demócrito rindo.
A Era do Eixo é um termo cunhado pelo filósofo alemão Karl Jaspers (1883-1969) para descrever o período de 800-200 a.C., mais concretamente durante o primeiro milénio antes de Cristo, durante o qual, houve uma transformação essencial na consciência humana em áreas geográficas distantes e aparentemente sem interferência: índia, China, Pérsia, Grécia.
China
Índia
Pérsia
Grécia
Confúcio
Sidarta Gautama
Ciro
Sócrates
(551-478 aC.)
(560-480 aC.)
(558-528 aC.)
(470-399 aC.)
O homem passou de uma consciência predominantemente cósmica a uma consciência reflexiva, de uma consciência submersa no grupo e na coletividade a uma consciência de identidade individual e pessoal. Foi também nesse quadro que emergiu uma decisiva transformação religiosa, com a necessidade e a procura da salvação pessoal, com o aparecimento das religiões universais e uma mudança na concepção do divino, com três orientações fundamentais:
o monismo
¹,
o monoteísmo,
a exigência crítica racional na sua representação.
É dessas correntes que ainda hoje vivemos. Estas bases foram estabelecidas por pensadores individuais dentro de um quadro de um ambiente de mudança social.
As mudanças incluem a ascensão do platonismo, que mais tarde se tornaria uma grande influência sobre o mundo ocidental, tanto através do cristianismo e do pensamento secular ao longo da Idade Média e no Renascimento.
O Budismo, também da tradição da Índia, foi outra das filosofias mais influentes do mundo, fundada por Sidarta Gautama, ou Buda, que viveu durante este período.
Na China, o confucionismo surgiu durante esta época, onde permanece sendo uma profunda influência sobre a vida social e religiosa.
O Zoroastrismo é crucial para o desenvolvimento do monoteísmo, que na verdade surge com a unificação de Ciro, o Grande da Pérsia.
Jaspers também incluiu os autores dos Upanishads, Lao Tzu, Homero, Sócrates, Parmênides, Heráclito, Tucídides, Arquimedes, Elias, Isaías, Jeremias como figuras dessa era.
Sócrates, Confúcio e Sidarta Gautama foram especialmente elevados.
Além de Jaspers, o filósofo Eric Voegelin se referiu a esta idade, como O Grande Salto do Ser, constituindo um novo despertar espiritual e uma mudança de percepção da sociedade para os valores individuais.
Características da Era do Eixo:
deu à luz a filosofia como uma disciplina.
uma pausa para a liberdade,
✓ uma respiração profunda trazendo a consciência mais lúcida.
A historiadora religiosa Karen Armstrong explora o período de grandes transformações e formação de teorias como foco de suas conferências acadêmicas, argumenta que o Iluminismo foi uma "Segunda Era do Eixo", incluindo pensadores como Isaac Newton, Sigmund Freud e Albert Einstein, e que a religião hoje precisa voltar para as ideias transformadoras do eixo.

¹ Monismo = Sistema que pretende reduzir o Universo a um único domínio, o da substância cujos atributos inseparáveis são a matéria e a energia. Na linguagem informal, significa ter uma visão única e definí-la como completa para alguma coisa.

Nenhum comentário: