7 de outubro de 2014

Tempo é Mudo

Ervin Molnar
O tempo é mudo em canaviais imóveis…

Longe do porto errava uma canoa…
Cansado, inerte o remador… O céu
Já decaído ao fundo das fumaças…
Avanço em vão na orla das lembranças,
Cair talvez seria bênção…

Não soube

Que é a mesma ilusão: o mundo e a mente,
Que no mistério das suas próprias ondas
Cada terrena voz faz seu naufrágio.

Giuseppe Ungaretti (1888-1970)
Tradução: Guilherme Gontijo Flores

Nenhum comentário: