9 de setembro de 2014

Lembra corpo

William-Adolphe Bouguereau
Corpo, lembra não só quanto foste amado,
não somente os leitos em que deitaste,
mas também aqueles desejos que por ti
brilhavam nos olhos claramente,
e que tremiam na voz – e que algum
obstáculo fortuito frustrou.
Agora que tudo já está no passado,
parece, quase, que àqueles desejos também
tu te entregaste – como eles brilhavam,
lembra, nos olhos que te contemplavam;
como tremiam na voz, por ti, lembra, corpo.

Konstantinos Kaváfis (1863-1933)
Tradução: Ísis Borges da Fonseca

Nenhum comentário: