11 de setembro de 2014

Primeira Meditação

Karen Koski
És a única árvore no mundo que recusa
crescer em direção à luz. Em vez disso enterras-te
com raízes cada vez mais profundas,
camada de terra após camada, tempo passado,
rumo ao calor, e calculas já estar a meio caminho.
Depressa deixas de sentir as toupeiras, minhocas
ou raízes de outros seres, tetra-cego das cavernas
na sua noite infinita. O frio é cada vez maior.
Não sabes se consegues crescer a distância necessária
para encontrares o magma. Estás só, mas a caminho.

Ingmar Heytze
Tradução: Maria Leonor Raven-Gomes

Nenhum comentário: