13 de agosto de 2014

Minha solidão

Paul Krapf
Por minhas lágrimas de amor,
o vermelho fica verde.
De tanto pensar em ti,
meu corpo vira um esqueleto.
Não canso de chorar minha solidão,
abrir a mala e admirar sozinha
a saia* que costurei para te agradar.

Wu Zetian
(poeta chinesa que viveu entre 624 e 705)

✔ Na China antiga, a mulher apaixonada tinha sempre uma saia para vestir exclusivamente na presença do amado. Na sua ausência, a saia ficava guardada, e só saía do armário para festejar a chegada do amante.

Nenhum comentário: