27 de agosto de 2014

Chartres

Jean-Baptiste Camille Corot
Pedras, o que me espanta
Não é que tenhais resistido
Por tanto tempo a tanto vento e a neve tanta:
Pois não vos tinham construído
Para arrostar nesta colina
O inverno e o vento desabrido?

Meu espanto é que suportais,
Sem vos gastardes, nossos olhos,
Nossos olhos mortais.

Archibald Mcleish (1892-1982)
Tradução: Manuel Bandeira

O poema refere-se à Catedral de Nossa Senhora de Chartres, na França,
cujo prédio (com a forma atual) existe desde o século XIII.

Nenhum comentário: