30 de agosto de 2014

Rumor

Francisco Rebolo
Escuta o tempo queimando
dia e noite, noite e dia
aquela dor que doía
e agora já não dói tanto.

Escuta o tempo crestando
com sua fogueira fria
aquele jardim que havia
defronte daquele banco.

Escuta o tempo mudando
a pedra, o ar, a agonia,
tudo o que ainda resistia
com seu desespero manso.

Escuta o tempo passando
pela ampulheta vazia,
cinza solta do que havia
de ir apagando e apagando...

Bruno Tolentino (1940-2007)

Nenhum comentário: