10 de agosto de 2014

Criar-me e recriar-me ...

Edward Cucuel
Criar-me, recriar-me, esvaziar-me até
que o que de mim um dia, morto, vá
para a terra, não seja eu; enganar honradamente,
plenamente, com vontade firme,
o crime, e deixar-lhe este espantalho negro
do meu corpo, como sendo eu!
E esconder-me,
a sorrir, imortal, nas margens puras
do rio eterno, árvore
- num poente imarcescível
*
da imaginação mágica e divina.
Juan Ramón Jiménez (1881-1958)
Tradução: José Bento

* imarcescível: adj. Que não murcha, duradouro, eterno.

Nenhum comentário: