24 de maio de 2014

O Barco

Christian Schloe
Quando existe espaço pro delírio
o cavalo de todo beijo contém mil bocas
quando existe espaço pro sonho
minha boca se refaz no teu mais novo extrato
quando existe espaço pra amar
o pranto me recomenda
quando existe espaço pro verbo
inventam alvenaria, o marco, o socorro
quando existe espaço pra você
te pergunto: onde compraste tuas coxas?
espaço, delírio, sonho, amar, verbo, você
e a conclusão é irresoluta:
só existe o barco
meia roda no horizonte
de fim e de inícios.

Antonio Calloni

Nenhum comentário: