18 de dezembro de 2013

Nada mais

Franz von Stuck
…Espreitava o sol, calava a lua.
Tão silenciosos quanto as pedras.
O riso e falas daqueles corações.
Era manhã.
E nada mais podia ser tão belo
Nem tão morno,
Tão sublime,
Era aquilo,
Era único.
Deles.

Ednar Andrade

Nenhum comentário: