22 de novembro de 2013

Noturno

Vladimir Volegov
Passam as horas
lentas na chuva
que passa
na janela

exaustas dos dias
ardentes

passa sua dor
silenciosa nos olhos
que miram a chuva
por trás dos vidros

alheia pelo que
somos

silêncio e melancolia.

Adair Carvalhais Júnior

Nenhum comentário: