29 de setembro de 2013

Vivi, sofri, amei

John Reinhard Weguelin
Vivi. Quando cheguei, trazia os olhos cheios
da saudade de um céu que foi meu mundo antigo.
A vida me fez mal. E os homens por castigo,
odiaram-se. E eu também, porque eram maus, odiei-os.

Sofri. Tudo o que tive – ideais, sonhos, anseios –
naufragou numa pobre lágrima... E, comigo,
mais de um homem chorou, mais de um me disse: ("Amigo!")
A dor tornou-nos bons: perdoaram-me, perdoei-os.

Amei: vivi, sofri contigo. Em um segundo
resumimos a vida e, em nosso ninho, o mundo...
No entanto, a ti que amei, que o amor fez incapaz

de ódio – esse mal que é um bem, porque ele só perdoa -,
por mais que eu seja bom, por mais que sejas boa,
nunca te perdoarei, nunca me perdoarás!

Guilherme de Almeida (1860-1969)

Nenhum comentário: