13 de setembro de 2013

O Girassol

Amadeu Luciano Lorenzato
Quando o sol nasce em pompa radioso
De luz banhando o universo inteiro,
O girassol desperta no canteiro
Para seguir-lhe o rastro luminoso.

E fica assim, à terra preso e em gozo,
Apesar da distância o rotineiro,
Corola aberta ao beijos do luzeiro,
Cada vez mais distante e mais formoso.

Comparo o girassol à nossa lida;
Cada vez a distância é mais sentida
No infinito do espaço em que vivemos.

Vivo sempre a seguir-te em pensamento,
Não poder alcançar-te é o meu tormento.
Sou como a flor… tu és meu sol … Giremos.

Maurílio Leite (904-1939)

Nenhum comentário: