15 de setembro de 2013

Língua Portuguesa

José Ferraz de Almeida Júnior - Natureza morta com tinteiro
Amo-te, ó minha Língua Portuguesa,
Doce, maviosa, rica e feiticeira,
De todas do universo és a primeira,
Que nenhuma haverá de mais beleza.

Do carme expressional da Natureza
Em ti ressoa a sinfonia inteira…
E, transplantada à terra brasileira,
Mais formosa ficaste com certeza.

Vingaram de teu tronco outros renovos,
Do esplendor destas matas no conchego…
És Bíblia de três raças e dois povos…

Resumes num vocábulo um poema:
Saudade, flor das plagas do Mondego,
Mais saudosa na pátria de Iracema!

Lindolfo Eduardo Gomes (1875 -1953)

Nenhum comentário: