23 de setembro de 2013

Diálogo

Jerome Thompson
Minhas palavras são a metade de um diálogo
obscuro continuando através de séculos impossíveis.

Agora compreendo o sentido e a ressonância
que também trazes de tão longe em tua voz.

Nossas perguntas e resposta se reconhecem
como os olhos dentro dos espelhos.

Olhos que choraram.
Conversamos dos dois extremos da noite,
como de praias opostas.
Mas com uma voz que não se importa...

E um mar de estrelas se balança
entre o meu pensamento e o teu.
Mas um mar sem viagens.

Cecília Meireles (1901-1964)

Nenhum comentário: