14 de setembro de 2013

Ciência

Leonardo da Vinci
Começo a ver no escuro
um novo tom
de escuro.

Começo a ver o visto
e me incluo
no muro.

Começo a distinguir
um sonilho, se tanto,
de ruga.

E a esmerilhar a graça
da vida, em sua
fuga.

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

Nenhum comentário: