23 de setembro de 2013

Amém

Irina Kotova
Que a morte te acolha
com todos os teus sonhos intactos.
No regresso de uma furiosa adolescência,
no começo das férias que nunca te deram,
distinguir-te-á a morte com um primeiro aviso.
Abrir-te-á os olhos para as suas grandes águas,
iniciar-te-á na sua constante brisa de outro mundo.
A morte confundir-se-á com os teus sonhos
e neles reconhecerá os signos
que outrora fora deixando,
como um caçador que no seu regresso
reconhece as suas marcas na fenda.

Álvaro Mutis (1923-2013)
Tradução: Nuno Júdice

Nenhum comentário: