8 de agosto de 2013

Amigo! Amigo!...

August Bromse - Paraíso Perdido
Lembras-te do jardim irreal e triste?
Do lago onde boiavam peixes de jade?
Existe ainda esse jardim irreal e triste?
Para voltar sempre parece tarde.

Dormias como um deus sobre anêmonas brancas:
Como eras tão jovem, tão simples, tão claro!...
Teu rosto e tuas mãos eram anêmonas brancas.
Só a memória guarda o teu retrato.

Que fizemos do nosso único momento?
Do grande? do verdadeiro, do exato?
Agora o que há entre nós não tem momento;
Está fora do tempo e do espaço.

Maria Manuela Couto Viana (1919-1983)

Nenhum comentário: