5 de junho de 2013

Oferenda

Peder Severin Kröyer
Gostaria de oferecer-te algo
Que fosse grande e belo,
Esquisitamente suave,
Absolutamente original.

Alguma coisa inútil
Como os meus pensamentos,
Imponderável como os meus desejos
E incompreensível como o meu amor.

Alguma coisa que te falasse de mim
Como uma fábula antiga, Sem imagens sonoras,
Sem ideias brilhantes,
Mas cheia de moralidade.

Alguma coisa que te acompanhasse em silêncio,
Que vivesse contigo,
Sem deixar de ser minha.

E foi por isso que te ofereci,
Como uma dádiva suprema,
Como uma oferta incomparável
- a minha ausência.

Alba Saltiel Bianco

Nenhum comentário: