16 de junho de 2013

Exílio

Megan Aroon Duncanson
Todas as manhãs assim:
esperando do horizonte
velas que venham por mim.

Todas as tardes assim:
das raras velas que chegam,
nenhuma chega por mim.

Todas as noites assim:
velas de treva ou luar.
Mas não navegam por mim.

Ruy Espinheira Filho

Nenhum comentário: