20 de junho de 2013

Esperar o Vento...

Jean Puy
No cântico longínquo das nuvens
cresce uma andorinha branca.
deforma-se
o mundo
para uma nova densidade.
sorri
a primeira gota de chuva.
este cântico das nuvens é
um bramido suave
que adormece os olhos
os olhares
dos bichos
a andorinha cessa o seu voar
a nuvem cessa o seu cantar
a gota de chuva
densa
despede-se do mundo...
e voa!

Ondjaki
Pseudônimo do escritor angolano Ndalu de Almeida

Nenhum comentário: