18 de abril de 2013

O Leão Velho

Gustave Dore
Decrépito o leão, terror dos bosques,
E saudoso da antiga fortaleza,
Viu-se atacado pelos outros brutos,
Que intrépidos tornou sua fraqueza.

Eis o lobo com os dentes o maltrata,
O cavalo com os pés, o boi com as pontas,
E o mísero leão, rugindo apenas,
Paciente digere estas afrontas.

Não se queixa dos fados; porém vendo
Vir o burro, animal de ínfima sorte,
- Ah! vil raça - lhe diz - morrer não temo,
Mas sofrer-te uma injúria é mais que morte!

Jean de La Fontaine (1621-1652)
Tradução: Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)

Nenhum comentário: