4 de abril de 2013

O Intratável

“A vida é, assim, feita a golpes de pequenas solidões”.
Roland Barthes
Catrin Welz-Stein
Afirmação: Ao contrário de tudo e contra tudo, o sujeito afirma o amor como valor. Apesar das dificuldades da minha história, apesar das perturbações, das dúvidas, dos desesperos, apesar da vontade de me livrar disso, não paro de afirmar em mim mesmo o amor como valor.
Todos os argumentos que os sistemas mais diversos empregam para desmistificar, limitar, apagar, enfim, depreciar o amor, eu os escuto, mas me obstino: "Sei bem, mas contudo...". Transfiro as desvalorizações do amor para uma espécie de moral obscurantista, para um realismo-farsa, contra os quais ergo o real do valor: oponho a tudo "o que não vai bem" no amor, a afirmação do que vale nele. Essa teimosia, é o protesto do amor: debaixo do concerto de "boas razões" para amar de outro modo, amar melhor, amar sem estar apaixonado, etc., uma voz teimosa se faz ouvir que dura um pouco mais de tempo: voz do Intratável apaixonado.
Roland Barthes (1915-1980
Fragmentos de Um Discurso Amoroso.
Tradução: Hortênsia dos Santos
Francisco Alves Editora.

Nenhum comentário: