13 de abril de 2013

Melancolia

Dorina Costras
Porque aí estás - mendiga -
na soleira da porta
olho-te nos olhos.
São belos mas turvos de tristeza
rio passando e em sua correnteza
a lembrança de outros dias.
Atira essas moedas
apagaram-se as efígies que amavas
olha o que te cerca a proximidade
de uma criança de um cão
não estás onde estavas
esquece a casa as escadas a voz
que te chamava e ama esse bosque adormecido
de sonhos que não se afastam
de aparentemente perdido.

Dora Ferreira da Silva (1918-2006)

Nenhum comentário: