21 de abril de 2013

Inconfidência Mineira

Pedro Américo - A mais importante das reuniões dos conjurados
A Conjuração Mineira foi um movimento social dos mais importantes e antecedentes da Independência do Brasil. Conhecido também como Conjuração Mineira, a Inconfidência Mineira foi uma tentativa de revolução contra a exploração que o Brasil Colônia sofria sob o domínio de Portugal. Possui também, uma figura histórica relembrada até hoje chamado Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Em meados do século XVIII, por volta de 1782, o declínio da produção de ouro em Minas Gerais foi intenso. Por este motivo, a Coroa portuguesa controlou ainda mais o Brasil Colônia especialmente a população mineira intensificando a exploração e revoltando ainda mais a população. Em 1785, as atividades artesanais e fabris foram proibidas, e os produtos vindos da Metrópole possuíam taxas muito altas. Nestas situações, o então governador da capitania de Minas Gerais, D. Luís da Cunha Meneses, recebeu ordens de Portugal para cobrar a população mineira em dinheiro, para que esta completasse o que faltasse da cota de ouros que o Brasil deveria produzir para Portugal.
  • Inspirados pelas ideias iluministas, os conjurados mineiros defenderam a liberdade do comércio e a independência da região das minas.
  • O declínio da exploração aurífera, na segunda metade do século XVIII, ao lado da iminente cobrança da derrama foram fatores que contribuíram para aumentar a insatisfação dos colonos mineiros com a Coroa portuguesa.
    As principais reivindicações dos participantes da Inconfidência Mineira:
  • Os inconfidentes planejavam a organização de um governo republicano inspirado nas leis e princípios estipulados pela Constituição dos Estados Unidos.
  • Pretendiam incentivar transformar São João D’El Rei na capital do novo governo,
  • Estabelecer o serviço militar obrigatório e
  • Incentivar a construção de indústrias capazes de atender a demanda local e modernizar a economia.

Nenhum comentário: