25 de março de 2013

FINAL

“Enche, pois, de palavras minha loucura
ou deixa-me viver em minha serena noite
da alma para sempre escura”.

Federico Garcia Lorca
Beatrice Offor
Resta o passado, o meu passado… Minha glória,
não por mim, mas por ti, que nele existes…
Por ti, que me povoa a memória
do coração, a memória dos sentidos,
a memória imortal do pensamento,
com as mil estátuas dos teus gestos tristes,
com teus olhos de pasmo, doloridos,
com tua voz de cântico e lamento,
écloga e litania do teu amor, que era,
sobre a frialdade do meu precoce outono,
um hálito morno de primavera.
… Resta o passado, céu de eterna claridade,
paraíso perdido, céu divino,
onde a um mando de mágoa e de abandono
estacou, como o sol da Bíblia, o meu destino…
…Resta o passado, que não foge e que não cansa…
…Resta a saudade,
mais fiel, menos triste, que a esperança…

Felippe D´Oliveira (1891-1933)

Nenhum comentário: