28 de março de 2013

Estou tão só

Joanna Sierko-Filipowska
Estou tão só
Se encontrasse a sombra
De um doce coração.
Ou se alguém me ofertasse uma estrela
Sempre a apanharam os anjos
Assim, no vai-e-vem.
Tenho medo da terra negra.
Como ir embora?
Quero ser enterrada nas nuvens,
Ali onde o sol cresce,
Amo-te assim!
Também me amas? Diz, então...

Else Lasker-Schüler (1869-1945)

Um comentário:

Anônimo disse...

Essas paixões são as melhores formas de dizer a nós mesmos o quanto a vida é sublime, e quão perigoso e delicioso tem este quê de amor e desejos.

belo texto!!!