31 de março de 2012

Pensar em Deus

Johann Georg Meyer von Bremen
Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que não o conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...

Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos!...

Alberto Caeiro
Fernando Pessoa (1888-1935)

As palavras são novas

“Escrevo para desassossegar os meus leitores”.
José Saramago
Paul Bond - Happiness in Perpetuity
As palavras são novas: nascem quando
No ar as projetamos em cristais
De macias ou duras ressonâncias

Somos iguais aos deuses, inventando
Na solidão do mundo estes sinais
Como pontes que arcam as distâncias.

José Saramago (1922-2010)

31 - Aniversário do Golpe Militar de 1964

Dia do Golpe Militar
48 anos do Golpe Militar de 1964.
Segunda-feira (26/03/2011) Manifestantes fazem “escracho” em frente à casa de acusados de tortura em seis Estados, com o objetivo é expor publicamente ex-militares e policiais por crimes durante ditadura. Manifestantes do Movimento Levante Popular da Juventude realizaram protestos em sete capitais, batizados de "esculachos" contra torturadores da ditadura militar. O ato semelhante do que militantes fizeram no Chile e Argentina ocorreu em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Belém e Curitiba.
Em São Paulo, cerca de 150 manifestantes do Levante Popular da Juventude protestaram pela manhã em frente à Dacala, na Zona Sul de São Paulo, empresa de segurança de propriedade de David dos Santos Araújo, acusado de torturar, estuprar e matar opositores da ditadura militar.
Com palavras de ordem como "Cadê, cadê, quero ver a Comissão da Verdade acontecer" os manifestantes protestaram contra Araújo, conhecido como Capitão Lisboa, ex-integrante da Operação Bandeirante, um dos centro de tortura da ditadura militar.
David dos Santos Araújo
David dos Santos Araújo – o Capitão “Lisboa ” – prendeu, torturou, estuprou, matou presos políticos que, na ditadura militar, lutavam pela liberdade".
Visite o site dos jovens ( Aqui )

30 de março de 2012

Canção do dia que se vai

Jules Dupre - Sunset on the Coast
Que trabalho me custa
deixar-te ir, ó dia!
Vais-te cheio de mim,
voltas sem conhecer-me.

Que trabalho me custa
deixar sobre teu peito
possíveis realidades
de impossíveis minutos!

Pela tarde um Perseu
te lima as cadeias,
e foges sobre os montes
ferindo-te os pés.
Não podem seduzir-te
minha carne ou meu pranto,
nem os rios em que
a sesta de ouro dormes.

De Leste para Oeste
levo-te a luz redonda.
Teu fulgor que sustem
minha alma em tensão fina.
De Leste para Oeste,
que trabalho me custa
levar-te com teus pássaros
e teus braços de vento!
Federico Garcia Lorca (1898-1936)

O Sono

Edward Killingworth Johnson
Dorme.
Dorme o tempo em que não podias dormir.
Dorme não só tu,
Prepara-te para dormir teu corpo e teu amor contigo.
Dorme o que não foste, o que nunca serás.
Dorme o incêndio dos atos esquecidos,
A qualidade a distância o rumo do pensamento.

O pássaro magnético volta-se,
As árvores trocam os braços,
O castelo parou de andar.

Dorme.
Que pena não poder me ver - puro - dormindo.

Murilo Mendes (1901-1975)

29 de março de 2012

A Missão dos Signos

A Missão de Cada Signo
Stephanie Pui-Mun - Zodiac
E naquela manhã Deus compareceu ante suas doze crianças e em cada uma delas plantou uma semente da vida humana. Uma a uma, cada criança recebeu então o dom que lhe caberia na Terra. E Deus disse a elas:
1. Áries
Josephine Wall - Áries
“A ti Áries, dou a primeira semente para que a plantes. Para cada uma que plantares, um milhão delas surgirá em tuas mãos. Tu serás a primeira a penetrar o solo da mente humana levando minha ideia. Mas não cabe a ti alimentar e cuidar dessa ideia. Para ti, viver é agir. E a única ação que te atribuo é a de dar o passo inicial. Por essa tarefa, te concedo o Respeito por Ti mesmo”.
2. Touro
Josephine Wall - Touro
“A ti, Touro, dou o poder de transformar uma semente em substância. Tens que terminar tudo o que foi começado, sem deixar que as sementes se dispersem ao vento. Não deves assim questionar e não deves mudar de ideia antes da tarefa cumprida. Para executar o que te peço, não dependerás dos outros. Concedo-te para isso o dom da Força. Usa-o bem”.
3. Gêmeos
Josephine Wall - Gêmeos
“A ti, Gêmeos, dou as perguntas sem resposta, para que possas transmitir a todos, um entendimento de tudo aquilo que está ao redor do homem. Tu nunca saberás por que os homens ouvem e falam, mas em tua busca pela resposta receberás o dom que reservei para ti: o Conhecimento, para ser difundido”.
4. Câncer
Josephine Wall - Cancer
“A ti, Câncer, delego a tarefa de mostrar aos homens o valor da emoção. Provocarás risos e lágrimas, de maneira que tudo o que se veja e se sinta seja pleno e venha do interior de cada um. Por isso terás o dom da Família, a fim de multiplicar tua Plenitude”.
5. Leão
“Tu, Leão, tens a tarefa de exibir ao mundo minha criação em todo o seu esplendor. É muito importante que tenhas cuidado com o orgulho e te lembres sempre que é minha criação, e não tua. Se te esqueceres disso, serás desprezado pela humanidade. Há muita alegria para ti: basta fazer bem teu trabalho. Para isso, tens o dom da Honra”.
6. Virgem
Josephine Wall - Virgem
“A ti, Virgem, delego a tarefa de rever tudo o que a humanidade fizer com minha criação. Observarás atentamente os caminhos percorridos e alertarás a todos sobre seus erros, trabalhando para aperfeiçoar minha criação. Para poderes cumprir com tua tarefa, te concedo o dom da Pureza de Pensamento”.
7. Libra
Josephine Wall - Libra
“Tu, Libra tens a missão de servir, alertando os homens sobre seus deveres para com os outros. Ensinarás a cooperação e a fraternidade. Hei de levar-te aonde houver a discórdia para ali encaminhares as soluções. Por teus esforços, te concedo o dom do Amor”.
8. Escorpião
Josephine Wall - Escorpião
“A ti, Escorpião, confio a difícil tarefa de conhecer a mente humana. Muitas vezes te sentirás triste com o que vires e poderás até te esquecer que não é minha ideia, mas a perversão da minha ideia por parte dos homens é que te deixa triste. Em tua luta contra os instintos animais, não te dou o direito de falares sobre o que vires. Cada vez que te lembrares de mim estarás mais forte, com o dom da Finalidade”.
9. Sagitário
Josephine Wall - Sagitário
“Tua tarefa, Sagitário, é levar à humanidade o riso da esperança, pois, por causa das distorções que fazem da minha ideia, os homens se tornam amargos. A esperança os fará voltar seus olhos de novo para mim. Terás muitas vidas, ainda que por um momento, e em cada uma conhecerás a inquietação. O teu dom é o da Abundância para levar a luz a cada canto escuro”.
10. Capricórnio
Josephine Wall - Capricórnio
“De ti, Capricórnio, quero o teu suor e dedicação para que possas ensinar aos homens o valor do trabalho. Tua tarefa não é fácil e muitas vezes sentirás os ombros pesados. Mas, pela importância de tua carga, terás o dom da Responsabilidade sobre os atos humanos. Hás de vencer, preservando-a”.
11. Aquario
Josephine Wall - Aquario
“Aquário, tu terás o conceito do futuro para que leves aos homens novas possibilidades. Sofrerás com a solidão, pois não te permito personalizar meu amor. Com o dom da Liberdade, poderás falar claro aos homens e poderás servir sempre, onde quer que precisem de ti, com eficiência”.
12. Peixes
Josephine Wall - Peixes
“A ti, Peixes, reservei a mais difícil de todas as tarefas. Peço-te que reúnas todas as tristezas dos homens e dirijas suas súplicas a mim. Tuas lágrimas serão minhas, e colherás os frutos das distorções dos homens à minha ideia. Prepara-te para não seres ouvida quando tentares transmitir esse dom”.
Então Deus disse: “Cada uma de vós tem uma parte da minha ideia. Mas não deveis confundir a parte com a ideia global, nem podereis negociar vossas partes. Cada uma de vós é perfeita, mas não podereis compreender isso até que todas sejais Uma. Então, o todo da minha ideia será revelado. “Até lá, voltareis a mim muitas vezes, pedindo para serdes liberadas de vossas missões”.
(Karmic Astrology: The Moon´s and Reincarnation, Martin Schulman)
Poema por um Amor
Henri Rousseau - "Vista de Saint Cloud"
Pouso meu olhar
voo rasante
sobre a noite
e oferto meu ser
às estrelas
A brisa tênue
toca minha face
efêmera
e colhe cálida
o meu amor
eterno
Sou inteira flor
meus lábios
pétalas
desabrocham beijos
na imagem ausente
de tua boca
terna
Meu desejo
perfume
exala em orgasmo
a memória
de teu corpo
enluarado
Calo meu olhar
e guardo a noite
por dentro
sonho:
enfim te encontro.

Virginia Schall

A Pombinha da Mata

Bob Kemp
Três meninos na mata ouviram
uma pombinha gemer.

"Eu acho que ela está com fome",
disse o primeiro,
"e não tem nada para comer."

Três meninos na mata ouviram
uma pombinha carpir.

"Eu acho que ela ficou presa",
disse o segundo,
"e não sabe como fugir."

Três meninos na mata ouviram
uma pombinha gemer.

"Eu acho que ela está com saudade",
disse o terceiro,
"e com certeza vai morrer."

Cecília Meireles (1901-1964)

28 de março de 2012

Anke Merzbach
Houve
(há)
um enorme silêncio
anterior ao nascimento das estrelas

antes da luz

a matéria da matéria

de onde tudo vem incessante e onde
tudo se apaga
eternamente

esse silêncio
grita sob nossa vida
e de ponta a ponta
a atravessa
estridente.

Ferreira Gullar
Timoleon Marie Lobrichon
“Se és capaz de aceitar seus alunos em sua realidade social, humana e cultural; se os leva a superar suas dificuldades, limitações ou fracassos, sem humilhações, sem inúteis frustrações; se os estimula a emitir opiniões mesmo contrárias às suas; se os leva a refletir mais que decorar, se te emocionas com a visão de tantas criaturas que de ti dependem para desabrochar em consciência criativa, criatividade, liberdade e responsabilidade, então podes dizer: Sou Mestre”.)
Rui Barbosa (1849-1923)

27 de março de 2012

Isso sim que é vida boa

Toulouse-Lautrec
Eu queria ser de circo.
Ai, que vida original!
Trabalhar todas as noites,
Divertindo o pessoal.
Os aplausos da plateia,
toda aquela vibração,
sempre novas gargalhadas,
sempre mais animação!

Eu queria ser de circo,
conhecer os bastidores,
que a plateia nunca vê

ver de perto os domadores,
dar comida ao chimpanzé

ver a cama do anão
ver as focas amestradas,
ver a jaula do leão
ver a cara do palhaço
sem pintura e fantasia,
e ver se a mulher barbada
faz a barba todo dia.

Lá no circo, eu imagino,
mal termina a função,
os artistas vão comer,
sem pagar nenhum tostão
a pipoca que quiserem,
quanto for que os contente,
um montão de algodão doce,
guaraná cachorro-quente.

Pedro Bandeira

27 de Março Dia do Circo

Georges Seurat - The Circus
O circo é umas das mais antigas artes de espetáculos do mundo. Teve origem em povos nômades da Eurásia.
Há muitos tipos de circo:
  • circo de rua,
  • circo tradicional,
  • circo chinês,
  • circo russo etc.
Edgar Degas - The Cirque Fernando
O universo circense é na verdade um conjunto de diversas artes:
  • malabarismo,
  • palhaço,
  • acrobacia,
  • monociclo,
  • adestramento de animais,
  • equilibrismo,
  • ilusionismo etc.
Há cerca de cinco mil anos, pinturas onde aparecem acrobatas, contorcionistas e equilibristas, foram descobertas na China, partindo daí uma hipótese do surgimento da arte circense. Naquela época, a acrobacia era utilizada como forma de treinamento para os guerreiros, pois gerava agilidade, flexibilidade e força. O dia do circo foi criado em homenagem ao palhaço Piolim, Abelardo Pinto, que comandou o circo Piolim por mais de trinta anos. A data foi instituída em razão de seu nascimento, no ano de 1897, em Ribeirão Preto, no estado de São Paulo. Abelardo chegou a fazer espetáculos beneficentes, junto com um grupo de artistas espanhóis, que lhe deram o apelido de Piolim, que significa barbante, devido às pernas compridas e também por sua magreza.
Piolim era engajado com os movimentos artísticos e culturais, sempre preocupado em divulgar a arte como forma de expressão cultural. Foi homenageado pelos intelectuais da Semana de Arte Moderna (Tarsila do Amaral, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfati, e outros) em 1922, como o maior artista popular brasileiro. Em dois de agosto de 1931 recebeu uma homenagem de Mário de Andrade, através de uma crônica que demonstrava seu encantamento com a arte do circo de Piolim. Um dos maiores sonhos desse palhaço era montar uma escola circense, para manter as tradições artísticas e culturais do circo, mas morreu antes de concretizá-lo, aos 76 anos de idade, no ano de 1973.

26 de março de 2012

O Silêncio

William John Hennessy
O silêncio tem uma porta
que se abre
para um silencio maior:
antecâmara do ultimo,
que anuncia outro depois.

Dora Ferreira da Silva (1918-2006)

Destino do Poeta

Francesca Aristarchi
Palavras? Sim. De ar
e perdidas no ar.
Deixa que eu me perca entre palavras,
deixa que eu seja o ar entre esses lábios,
um sopro erramundo sem contornos,
breve aroma que no ar se desvanece.
Também a luz em si mesma se perde.

Octavio Paz (1914-1998)

25 de março de 2012

A balada da água do mar

Lord Frederick Leighton - Psamathe
O mar
sorri ao longe.
Dentes de espuma,
lábios de céu.

- Que vendes, ó jovem turva,
com os seios ao ar?

- Vendo, senhor, a água
dos mares.

- Que levas, ó negro jovem,
mesclado com teu sangue?

- Levo, senhor, a água
dos mares.

- Essas lágrimas salobres
de onde vêm, mãe?

- Choro, senhor, a água
dos mares.

- Coração, e esta amargura
séria, onde nasce?

- Amarga muito a água
dos mares!

O mar
sorri ao longe.
Dentes de espuma,
lábios de céu.

Federico Garcia Lorca (1898-1936)

Confusão

Carlo Frisardi
Essas duas tresloucadas,
a Saudade e a Esperança,
vivem na casa do Presente,
quando deviam estar - como seria lógico
- uma na casa de Passado e a outra na casa do Futuro.
_ Mas e o Presente, seu moço?
_ Ah, esse nunca está em casa.

Mario Quintana (1906-1994)

24 de março de 2012

À capela do Almeida

Andrew Soundarajan
Grato oásis do viajante,
Terra de lindos primores,
Tu és sultana das flores,
Bela filha do sertão.
Aí no regaço ameno
O lasso e triste romeiro,
Se esquece do amor primeiro
Pois te dá seu coração.
Que importa por longes terras
Se ostentem mil maravilhas?
Paris, Nápoles, Sevilha,
Não têm o atrativo teu.
Em vez de luxo - tens flores,
Em vez de sedas - perfumes,
Em vez de bailes - os lumes
Das estrelinhas do Céu.

Castro Alves (1847-1871)

Anjo

Léonor Mataillet
"Ai! Que vale a vingança, pobre amigo,
Se na vingança a honra não se lava?...
O sangue é rubro, a virgindade é branca -
O sangue aumenta da vergonha abava.
"Se nós fomos somente desgraçados,
Para que miseráveis nos fazermos?
Deportados da terra assim perdemos
De além da campa as regiões sem termos...
"Ai! não manches no crime a tua vida,
Meu irmão, meu amigo, meu esposo!...
Seria negro o amor de uma perdida
Nos braços a sorrir de um criminoso!. . . "

Castro Alves (1847-1871)