30 de janeiro de 2011

Tenho um vídeo que ganhei assim que saiu o Filme “Jornada da Alma” e assisti novamente (acho que pela oitava vez), porque me ajuda quando estou muito precária.
A história de Sabina Spielrein vista através da lente do cineasta italiano Roberto Faenza (“Página da Revolução”), me surpreendeu por levantar inúmeras questões para além do tema central que aborda a paixão entre ela e Carl Gustav Jung, seu psiquiatra.
E ainda mais por se tratar de alguém com problemas psicológicos onde a “paciência” e a “compreensão” inexiste.


Deixo aqui só esta parte onde tem a música Tumbalalaika.
Shtyl a boccher, on un tracht
Tracht un tracht a gatze nacht
Vemen tsu nemen un nit far shemen,
Vemen tsu nemen nit zu far

Refrain
Tumbala, tumbala, tumbalalaika,
tumbala, tumbala, tumbalalaika
Tumbalalaika, shpiel balalaica

Narisher bocher vos darfstu fregn?
A shteyn ken vaksn, vaksn, on regn.
Libeh ken brenen un nit oyfhern
A harts kon benkn, veynen on treren


Tradução: Recordações


Senhora, senhora, me diga novamente
O que pode crescer, crescer sem a chuva?
O que pode incendiar durante muitos anos?
Quem pode ansiar e chorar, sem lágrimas?


Tumbalalaika, toque a Balalaika,
Tumbalalaika, toque a Balalaika,
Tumbalalaika - nos deixe ser felizes.


Tolo rapaz, por que ainda pergunta?
É a pedra que cresce, que cresce sem chuva.
É o amor que pode incendiar por anos.
É o coração que pode chorar sem lágrimas
.
Tenho mais uma postagem sobre este filme e a Sabina Spielrein neste blog ( Aqui )


30 janeiro de 1948 - Mahatma Ghandi é assassinado
Mohandas Karamchand Gandhi mais conhecido popularmente por Mahatma Ghandhi foi um dos idealizadores e fundadores do moderno estado indiano e um influente defensor do Satyagraha (princípio da não agressão, forma não violenta de protesto) como um meio de revolução. O princípio do satyagraha, frequentemente traduzido como "o caminho da verdade" ou "a busca da verdade", também inspirou gerações de ativistas democráticos e anti racismo, incluindo Martin Luther King e Nelson Mandela. Frequentemente Gandhi afirmava a simplicidade de seus valores, derivados da crença tradicional hindu: verdade (satya) e não-violência (ahimsa).
Gandhi liderou mais de 250 milhões de hindus. Nasceu no dia 2 de outubro de 1869 na Índia Ocidental. Seu pai era um político local, e a mãe dele era uma vaisnava religiosa. Como era costume em sua cultura nesta época, com a idade de 13 anos, Mohandas foi casado, através de um acordo entre as respectivas famílias, com uma menina da mesma idade. Entretanto, no dia 30 de janeiro de 1948 aos 79 anos de idade, Gandhi foi assassinado a tiros, em Nova Déli, por Nathuram Godse, um hindu radical que responsabilizava Gandhi pelo enfraquecimento do novo governo ao insistir no pagamento de certas dívidas ao Paquistão. Godse foi depois julgado, condenado e enforcado, a despeito do último pedido de Gandhi que foi justamente a não punição de seu assassino. O corpo do Mahatma foi cremado e suas cinzas foram jogadas no rio Ganges. É significativo sobre a longa busca de Gandhi por seu deus o fato de suas últimas palavras serem um mantra popular na concepção hindu de um deus conhecido como Rama: "Hey Ram!" Este mantra é visto como um sinal de inspiração tanto para o espírito quanto para o idealismo político, relacionado a uma possibilidade de paz na unificação.
Ouça "Hey Ram Hey Ram" - Lord Rama Pra
“Seja a mudança que você quer ver no mundo”.
Mahatma Ghandi
“Não quero que a minha casa
Seja cercada de muros de todos os lados
E que as minhas janelas estejam tapadas.
Quero que as culturas de todos os povos
Andem pela minha casa com o máximo
De liberdade possível. Mas recuso-me
A ser derrubado por qualquer uma delas.
E recuso-me a viver nas casas dos outros
Como se fosse um intruso, um mendigo,
Ou um escravo”.

Mahatma Ghandhi (1869-1948)
* Isso ainda é muito utópico.

29 de janeiro de 2011

Dignidade

Jean-François Millet - Feeding the Young
“A dignidade é algo muito raro. Um cargo ou uma posição de respeito dá «dignidade». É como vestir um casaco. O casaco, aquilo que se veste, dá «dignidade». Um título ou uma posição dão «dignidade». Mas se aos homens forem retiradas essas coisas, muito poucos ficarão com aquela qualidade de dignidade que vem com a liberdade interior de se ser nada.
O homem anseia ser algo, e esse algo confere-lhe uma posição na sociedade, posição que esta respeita. O homem coloca-se geralmente dentro de categorias - ser-se astuto, rico, santo, médico; mas, se ele não se colocar dentro de uma categoria que a sociedade reconheça, é tido por uma pessoa esquisita.
A dignidade não pode ser possuída nem cultivada, e estarmos convencidos de que somos «respeitados» é estarmos centrados em nós mesmos, o que é algo insignificante, pequeno. Ser-se nada é estar-se livre dessa ideia.
Ser - não dentro de um qualquer estado particular - é a verdadeira dignidade. Esta não pode ser afugentada, está sempre lá”.
Jiddu Krishnamurti (1895-1986)
Um dia quebrarei todas as pontes
Que ligam o meu ser, vivo e total,
À agitação do mundo do irreal,
E calma subirei até às fontes

Irei até às fontes onde mora
A plenitude, o límpido esplendor
Que me foi prometido em cada hora,
E na face incompleta do amor

Irei beber a luz e o amanhecer,
Irei beber a voz dessa promessa
Que às vezes como um vôo me atravessa,
E nela cumprirei todo o meu ser.

Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004)

28 de janeiro de 2011

Escrevo pássaros

Ilustração: Brian Willse
Agora escrevo pássaros.
Não os vejo chegar, não escolho,
de repente estão aí,
um bando de palavras
a pousar
uma
por
uma
nos arames da página,
entre chilreios e bicadas,
chuva de asas,
e eu sem pão para dar,
tão somente deixo-os vir.
Talvez seja isto uma árvore,
ou quem sabe, o amor.

Julio Cortázar (1914-1984)
Tradução: Sidnei Schneider

O Meu Nirvana

No alheamento da obscura forma humana,
De que, pensando, me desencarcero,
Foi que eu, num grito de emoção, sincero
Encontrei, afinal, o meu Nirvana!

Nessa manumissão schopenhauereana,
Onde a Vida do humano aspecto fero
Se desarraiga, eu, feito força, impero
Na imanência da Ideia Soberana!

Destruída a sensação que oriunda fora
Do tacto — ínfima antena aferidora
Destas tegumentárias mãos plebeias —

Gozo o prazer, que os anos não carcomem,
De haver trocado a minha forma de homem
Pela imortalidade das Ideias!

Augusto dos Anjos (1884-1914)

27 de janeiro de 2011

Meu coração se perde de carinho
Por ti, ó pássaro oculto na noite!
Tua voz pressaga é também uma elegia
Sem mistério; a morte de todas as coisas.

Vive no teu soluço de amor, mas o teu canto
É na realidade consolo e contentamento.

As palavras que antes escutei
Eram apenas música e traziam esquecimento
Tu me levas à poesia, ave pousada na treva.

Vinícius de Moraes
(1913-1980)

Guerra do Vietnã

27 de janeiro de 1973 – Acordo põe fim à Guerra do Vietnã
Em 27 de janeiro de 1973, representantes do Vietnã do Norte e do Sul, bem como dos Estados Unidos, assinaram em Paris um difícil acordo que pôs fim à guerra do Vietnã.
Nenhum outro acontecimento moveu tanto a opinião pública internacional nos anos 60 e 70 quanto à guerra do Vietnã. Pela primeira vez na história, as atrocidades dos campos de batalha foram exibidas no "horário nobre" das tevês:
⇒ vietnamitas queimados por bombas,
⇒ o fuzilamento de um rebelde pelo chefe da polícia de Saigon com um tiro na cabeça,
⇒ o massacre de My Lai por soldados norte-americanos.
Mais de um milhão de vietnamitas e 55 mil combatentes dos EUA morreram no conflito. Por isso, a assinatura do acordo de paz, em 27 de janeiro de 1973, alimentou grandes esperanças.
O acordo de paz previa a retirada completa das tropas dos Estados Unidos. Em contrapartida, o Vietnã do Norte se comprometeu a soltar todos os prisioneiros de guerra norte-americanos.
Os principais arquitetos do acordo de Paris foram os chefes das delegações do Vietnã do Norte e dos EUA, respectivamente Le Duc Tho e Henry Kissinger, encarregado especial de Nixon. Pelos seus esforços, os dois diplomatas foram agraciados com o Prêmio Nobel da Paz de 1973. Foi principalmente Kissinger quem forçou uma mudança de rumo na política externa dos Estados Unidos, depois que os protestos dos pacifistas criaram uma situação insustentável para Washington. "Não é o Vietnã comunista que põe em risco os interesses norte-americanos e, sim, o envolvimento dos EUA num conflito insolúvel", argumentava.
Pouco antes do fim das negociações, Nixon ainda mandou bombardear o Vietnã do Norte. A chamada Campanha de Natal, iniciada no final de dezembro de 1972, foi um dos ataques aéreos mais pesados de toda a guerra. Com indiferença, o piloto de um dos bombardeiros B-52 descreveu assim a sua missão: "É apenas uma tarefa. Outras pessoas entregam leite, eu entrego bombas".
Na realidade, a guerra entre o Norte e o Sul não acabou com o fim da participação norte-americana. Os conflitos se estenderam por mais dois anos até que, em 1975, houve a rendição total do exército sul-vietnamita após a ocupação de Saigon.

O papel dos meios de comunicação
Existe a lenda de que os meios de comunicação decidiram a guerra do Vietnã. Na prática, porém, não existiam imagens dos crimes cometidos pelas tropas norte-americanas nem das ondas de execuções dos comunistas nos territórios por eles conquistados.
Diversos estudos científicos demonstraram que as imagens das batalhas militares, dos feridos e dos mortos mutilados representaram apenas 5 a 7% do noticiário de TV sobre o Vietnã. Além disso, a maioria das cenas de guerra foram fictícias, porque as equipes de TV não chegavam com seus equipamentos até os últimos rincões das florestas vietnamitas. É certo que os correspondentes tiveram mais liberdade do que em outras guerras para escrever críticas ao governo. Mas, nas tevês, a maioria das reportagens de três a quatro minutos mostravam um conflito sem nexo, de forma distanciada.

26 de janeiro de 2011

Anjo Músico III

Charles Sims - Titania
Toca um anjo na floresta
(Lê o pássaro mais próximo
a partitura oculta)
A túnica vermelha
detém o voo das asas
desdobradas no leve pousar
e permitem o parêntese aberto
à celeste música
entre a ramagem atônita -
súbita aparição
de natureza e espírito
em seu limiar.

Dora Ferreira da Silva (1918-2006)
René Magritte
A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.

E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

25 de janeiro de 2011

Nunca se poderá determinar com certeza total em que medida nosso relacionamento com o outro é o resultado de nossos sentimentos, de nosso amor, de nosso não amor, de nossa complacência, ou de nosso ódio, e em que medida ele é determinado de saída pelas relações de força entre os indivíduos. A verdadeira bondade do homem só pode se manifestar com toda a sua pureza, com toda a sua liberdade, em relação àqueles que não representam nenhuma força. O verdadeiro teste moral da humanidade (o mais radical, num nível tão profundo que escapa ao nosso olhar) são as relações com aquele que estão a nossa mercê: os animais. É aí que se produz o maior desvio do homem, derrota fundamental da qual decorrem todas as outras. […]
Milan Kundera - A Insustentável Leveza do Ser
Isso não é verdade. Hitler amava seu cachorro, acariciava-o e matou milhares de pessoas.
Conheço muita gente que ama os animais, mas não ama o ser humano.
E o que dizer dos rodeios onde maltratam os cavalos? E a matança de animais por carne?
O próprio escritor Milan Kundera, foi acusado no dia 13 de outubro de 2008 de colaborar com a polícia comunista da Tchecoslováquia em 1950. As declarações dadas por ele foram responsáveis pela condenação de um homem a 22 anos de prisão só por ter se encontrado com Miroslav Dvoracek, que havia desertado do serviço militar e entrado ilegalmente na Alemanha.
Kundera, na época com 21 anos era delegado da residência estudantil de Praga. Detido poucas horas depois e acusado de traição, Dvoracek foi condenado a 22 anos de prisão, dos quais cumpriu 14.
Marketa Dvoracek Novak, esposa do condenado, afirmou: "Não estamos surpreso do envolvimento de Kundera. Entre os famosos da época, muitos eram fanáticos do regime comunista nos anos 50. Ele é um bom escritor, mas não tenho nenhuma ilusão a respeito dele como ser humano".
Pois é... Deve amar os cachorrinhos, gatinhos e tudo mais.
Como ele mesmo diz: “Nesse mundo tudo é perdoado por antecipação e tudo é, portanto, cinicamente perdido”.

24 de janeiro de 2011

Trem de Ferro

Tarsila do Amaral - Estrada de Ferro Central do Brasil
Café com pão
Café com pão
Café com pão

Virge Maria que foi isso maquinista?

Agora sim
Café com pão
Agora sim
Voa, fumaça
Corre, cerca
Ai seu foguista
Bota fogo
Na fornalha
Que eu preciso
Muita força
Muita força
Muita força
(trem de ferro, trem de ferro)

Oô...
Foge, bicho
Foge, povo
Passa ponte
Passa poste
Passa pasto
Passa boi
Passa boiada
Passa galho
Da ingazeira
Debruçada
No riacho
Que vontade
De cantar!
Oô...
(café com pão é muito bom)

Quando me prendero
No canaviá
Cada pé de cana
Era um oficiá
Oô...
Menina bonita
Do vestido verde
Me dá tua boca
Pra matar minha sede
Oô...
Vou mimbora vou mimbora
Não gosto daqui
Nasci no sertão
Sou de Ouricuri
Oô...

Vaou depressa
Vou correndo
Vou na toda
Que só levo
Pouca gente
Pouca gente
Pouca gente...
(trem de ferro, trem de ferro)

Manuel Bandeira (1886-1968)


* Tom Jobim musicou e gravou.
24 de Janeiro - Dia da
Instituição do Casamento Civil no Brasil
O casamento sempre foi considerado muito importante entre todos os povos por formalizar a mais antiga das instituições, que é a família. Pelo valor e extensão de suas relações jurídicas e morais na vida social, todas as nações cultas do mundo têm em seu Código Civil um capítulo especial para essa instituição.
Nos primórdios da nossa civilização, a autoridade religiosa era a única competente para marcar as formalidades do casamento, assistir a sua celebração e marcar a sua validade.
No dia 24 de janeiro de 1890 que o então presidente da República Marechal Deodoro da Fonseca promulgou o Decreto 181 que instituía no Brasil o casamento civil. De lá pra cá muitas coisas mudaram, mas o fundamento continuou o mesmo: a união estável no famoso “papel passado”.

23 de janeiro de 2011

Desapego

Edward Charles Williams
A vida vai depressa e devagar.
Mas a todo momento
penso que posso acabar.

Porque o bem da vida seria ter
mesmo no sofrimento
gosto de prazer.

Já não tenho vontade de falar
senão com árvores, vento,
estrelas, e águas do mar.

E isso pela certeza de saber
que nem ouvem meu lamento
nem me podem responder.

Cecília Meireles (1901-1964)
Não precisei de ler São Paulo, Santo Agostinho,
São Jerônimo, nem Tomás de Aquino,
nem São Francisco de Assis -
Para chegar a Deus.
Formigas me mostraram Ele.

Manoel de Barros
(Eu tenho doutorado em formigas.)
Romero Britto celebra vitória de Dilma com anúncio no ‘NYT’
Retrato de Dilma feito pelo artista Romero Britto.
O artista plástico Romero Britto decidiu homenagear a presidente publicando um retrato, na edição desta semana da “The New York Times Magazine”, a revista dominical do “The New York Times”, um anúncio de página inteira.
Para tanto, calcula ter gasto US$ 20 mil (cerca de R$ 33,5 mil). Aos domingos, a tiragem da revista fica em torno de 400 mil exemplares.
Pernambucano com galeria em Miami, autor de murais ultracoloridos, Britto usou a peça publicitária para apresentar sua versão de Dilma ao público americano. A presidente é retratada com as cores fortes que caracterizam a obra do artista.
Acima da imagem, lê-se “parabéns, minha querida, a nova presidente do Brasil”. Na sequência, o artista parabeniza “todas as mulheres da América Latina”.
Britto diz que, dos amigos americanos, só ouve “comentários positivos” sobre a sucessora de Lula.
A empolgação pela “primeira mulher presidente”, segundo ele, foi contagiante. Nos Estados Unidos durante as eleições, afirma ter feito questão de votar na petista lá mesmo.
Ele não sabe se Dilma já ficou a par da homenagem, mas disse que pretende presenteá-la com a arte em sua próxima visita ao Brasil. Espera que seja no Carnaval.

O Jornal “Folha de São Paulo”, fez um deboche..., como já dizia minha avó, “inveja é uma m...”

22 de janeiro de 2011

O Mar

“Penso muitas vezes no dia em que vislumbrei o mar pela primeira vez. O mar é grande, o mar é imenso, o meu olhar vagueava pela praia fora e esperava ser libertado: mas lá ao fundo, porém, estava o horizonte. Por que razão tenho eu um horizonte? Da vida, eu esperei o infinito”.
Thomas Mann (1875-1955)
in Desilusão

Presença (em nós) dos ausentes (no mundo)

Arthur Hughes
“Os mortos veem o mundo
pelos olhos dos vivos.
Eventualmente ouvem,
com nossos ouvidos,
certas sinfonias
algum bater de portas,
ventanias.
Ausentes
de corpo e alma
misturam o seu ao nosso riso,
se de fato
quando vivos
acharam a mesma graça.”

Ferreira Gullar

Num Campo de Margaridas

Amy Tyler
Sonhei que estavas dormindo
num campo de margaridas
sonhando que me chamavas,
que me chamavas baixinho
para me deitar contigo
num campo de margaridas.
No sonho ouvia o meu nome
nascendo como uma estrela,
como um pássaro cantando.

Mas eu não fui, meu amor,
que pena!, mas não podia,
porque eu estava dormindo
num campo de margaridas
sonhando que te chamavas
que te chamavas baixinho
e que em meu sonho chegavas,
que te deitavas comigo
e me abraçavas macia
num campo de margaridas.

Thiago de Mello

21 de janeiro de 2011

Arte de Vania Medeiros
Passou a diligência pela estrada, e foi-se;
E a estrada não ficou mais bela, nem sequer mais feia.
Assim é a ação humana pelo mundo afora.
Nada tiramos e nada pomos; passamos e esquecemos.
E o sol é sempre pontual todos os dias.

Alberto Caeiro
Fernando Pessoa (1888-1935)
O Intenso Brilho
É impossível no mundo estarmos juntos
ainda que do meu lado adormecesses.
O véu que protege a vida nos separa.
O véu que protege a vida nos protege.
aproveita, pois, que é tudo branco agora,
à boca do precipício, neste vórtice e fala
nesta clareira aberta pela insônia
quero ouvir tua alma a que mora na garganta
como em túmulos esperando a hora da ressurreição,
fala meu nome antes que eu retorne
ao dia pleno, à semi escuridão.

Adélia Prado

20 de janeiro de 2011

James Sant
Não me perguntes, porque nada sei
Da vida,
Nem do amor,
Nem de Deus,
Nem da morte.
Vivo,
Amo,
Acredito sem crer,
E morro, antecipadamente
Ressuscitando.
O resto são palavras
Que decorei
De tanto as ouvir.
E a palavra
É o orgulho do silêncio envergonhado.
Num tempo de ponteiros, agendado,
Sem nada perguntar,
Vê, sem tempo, o que vês
Acontecer.
E na minha mudez
Aprende a adivinhar
O que de mim não possas entender.

Miguel Torga (1907-1995)
Alergia ao sêmen causa sintomas de gripe após o orgasmo

Uma síndrome com sintomas de gripe após o orgasmo pode ser causada por uma alergia ao sêmen, segundo cientistas holandeses. Homens neste estado, conhecido como síndrome da doença pós-orgásmica (POIS, na sigla em inglês) e documentada em jornais médicos desde 2002, têm febre, nariz vermelho, cansaço e dor nos olhos imediatamente após a ejaculação. Os sintomas podem durar uma semana.
O professor de psicofarmacologia sexual Marcel Waldinger, da Universidade de Utrecht, na Holanda, publicou dois estudos no Journal of Sexual Medicine que sugerem que homens com POIS têm alergia ao próprio sêmen e que o tratamento conhecido como terapia de hipossensibilização pode ajudar.
- Estes resultados são uma importante descoberta na pesquisa da síndrome e contradizem a teoria das causas psicológicas para o problema - diz Waldinger.
Embora venha sendo documentada desde 2002, a POIS é desconhecida dos médicos de família e especialistas dizem que, por isso, os homens que sofrem com o problema se sentem envergonhados e confusos. Para este estudo, os pesquisadores analisaram 45 holandeses diagnosticados com a doença.
Em um segundo estudo, os pesquisadores decidiram tratar dois voluntários com a terapia de hipossensibilização - tratamento para alergia também chamado imunoterapia - com injeções do próprio sêmen, primeiro em forma diluída e gradualmente em formas mais consistentes. Os resultados mostraram que depois de um e três anos, respectivamente, os homens tiveram uma redução significativa dos sintomas da POIS.
- É um processo demorado, usado em vários tipos de alergia e pode levar até cinco anos - explica Waldinger, que com os bons resultados começou a tratar mais pacientes com a terapia.
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa (1888-1935)

19 de janeiro de 2011

Alfazema ou Lavanda
A cor é magnífica! Seu aroma extremamente agradável; eu aconselho esfregar com suavidade as flores nas mãos e colocar em forma de concha para uma lenta e profunda inspiração.
A flor (Lavandula) tem à sua fragrância a calma, a tranquilidade e a pureza.
O nome latino (de “Lavare”), significa lavar, óbvio; ‘portanto’ muito utilizada em banhos de purificação e como perfume. Em época de floração as paisagem de cor lilás são únicas.
Umbrella Sky
“Buscas a perfeição?
Não sejas vulgar.
A autenticidade é muito mais difícil”.

Mario Quintana (1906-1994)