24 de março de 2011

Hoje na História

Na madrugada do dia 24 de março de 1976, uma junta militar derrubou o governo da presidente argentina María Estela Martínez, conhecida como Isabelita Perón, viúva e sucessora de Juan Domingo Perón, falecido no exercício do poder. Formada pelo general Jorge Rafael Videla, pelo almirante Emilio Massera e pelo brigadeiro Orlando Agostí, sob a justificativa de conter o desgoverno, a inflação e a influência socialista que assolava toda América Latina, a junta instituiu uma ditadura militar pautada na violação dos direitos humanos e na entrega econômica do país.
O chamado "Processo de Reorganização Nacional" tornou comum a prática de sequestros, prisões arbitrárias, torturas, mortes, ocultação de cadáveres e medidas como a censura aos meios de comunicação, intervenção aos sindicatos, proibição de greves, dissolução dos partidos políticos, suspensão da vigência do Estatuto do docente e eliminação de organizações políticas de esquerda.

Faziam parte também da ideologia do Estado os voos da morte e a apropriação de crianças. Nos voos da morte, os opositores ao regime militar eram dopados, empurrados vivos e arremessados ao mar em pleno voo dos aparelhos das forças armadas.
A apropriação de crianças também foi uma ação da guerra suja, descrita pelas Mães e Avós da Praça de Maio como um plano pensado e articulado pela Doutrina da Segurança Nacional, cuja orientação consistia em romper os laços de consanguinidade e “influência subversiva” que as crianças poderiam sofrer dos pais.

Em sua primeira viagem internacional a presidente Dilma Rousseff teve um encontro, em Buenos Aires, com as Mães e Avós da Praça de Maio e foi muito aplaudida, pois ela lutou durante a ditadura militar (1964-1985) no Brasil.
“Espero que essa agenda possa atualizar as marcas que ela (a presidenta da República) traz”, disse Cecília em referência ao fato de Dilma Rousseff ter atuado na resistência contra a ditadura e ter sido torturada e encarcerada por “subversão”, no Presídio Tiradentes, em São Paulo, entre 1970 e 1972.

Nenhum comentário: