30 de julho de 2010

Muitos campos tênues

Muitos campos tênues
que se inclinam pálidos:
flores decadentes
por todos os lados.

Grandes nuvens líricas,
ventos e astros lânguidos
a alta noite fria
clareando e sombreando.

Que vitória etérea
de guerreiros límpidos!
Mira a brava guerra
sonhos decorridos.

Desce no tempo íngreme
o planeta rápido.
Todo de ouro, o instinto
imobilizado.

E os nomes nos túmulos,
frágil cinza vária...
- Quebrados escudos,
abolidas armas.

Cecília Meireles (1901-1964)

Nenhum comentário: