30 de junho de 2008



“Posso ser leve como uma brisa,
ou forte como uma ventania,
depende de quando,
e como você me vê passar”.

Clarice Lispector



O regador é só uma mentira de chuva que eu tenho de contar às flores, todas as manhãs.

(Rita Apoena)

29 de junho de 2008



Me fale de amor,
mesmo que tudo já tenha sido dito...
Me fale!
Não preciso de nada original,
Quero palavras lindas,
só isso!

28 de junho de 2008

Das minhas necessidades

...
É que, às vezes, sinto necessidade de fazer-me crisálida... voltar-me para dentro e ficar ali quietinha, escutando aqueles barulhinhos internos. Não é nem tristeza, nem alegria; apenas contemplação interior.

27 de junho de 2008

Momento


Na corda bamba e farpada...
Malabarismo com dificuldades acrescidas...
É assim que a vida nos apresenta em alguns momentos.
Será que passo?

26 de junho de 2008

Mariana (Minas Gerais)

Mariana é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, foi a primeira vila, cidade e capital do estado de Minas Gerais.
A origem da cidade remonta a 1696 quando foi fundado o arraial do Ribeirão do Carmo. O povoado foi elevado a vila em 1711, e em 1745 tornou-se a primeira cidade de Minas Gerais, com a designação de Mariana, em homenagem à rainha D. Maria Ana D’ Áustria, esposa do rei D. João V.
Quando fui visitar as cidades históricas de Minas Gerais, amei Mariana. Tive vontade de ficar lá. Parecia aquelas cidadezinhas dos desenhos que eu fazia quando criança. Sempre nutri uma vontade de morar lá algum dia...
Esta semana ao ler o Boletim Mineiro de história do Ricardo Faria, fiquei surpresa, ao ler a impressão que ele teve, ao visitar Mariana no sábado passado.
“Mariana mostra algumas novidades, mas, no geral, achei a cidade meio descuidada... a Igreja do Carmo, vitimada por um incêndio há alguns anos atrás, encontra-se totalmente restaurada, apesar de apenas a arquitetura ter sobrevivido. Internamente, nada sobrou.
A chegada do trem à estação de Mariana, também totalmente restaurada.
A Igreja do Carmo (imagem acima), destruída por um incêndio, teve seu interior totalmente danificado. Mas sua arquitetura foi restaurada”.
Tomara que Mariana seja mais bem cuidada.

Fotos atuais de Campinas



Temos acima a Estação Cultura e a esquerda, o Centro de Campinas.
Princesa do Oeste - Estátua em frente a Estação Cultura.
Catedral Metropolitana
Lagoa do Taquaral

Um pouco sobre Campinas

Moro em Campinas
Campinas nasceu com sua igreja provisória em 14 de Julho de 1774.
A origem do povoamento de Campinas está ligada à abertura dos caminhos para o sertão de Goiás e Mato Grosso, feita pelos paulistas do Planalto de Piratininga. Uma dessas trilhas, aberta entre 1721 e 1730, chamou-se "Caminho dos Goiases". Logo instalou-se um pouso para descanso dos tropeiros que utilizavam esse caminho entre as vilas de Jundiaí e Mogi-Mirim. Esse pouso ficou conhecido pelo nome de "Campinas do Mato Grosso" em razão da formação de três pequenos descampados ou "campinhos" em meio à densa mata.
O povoamento efetivo começou com a chegada de Francisco Barreto Leme, vindo de Taubaté entre 1739 e 1744. Veio com sua família e conterrâneos e fixou-se em terras adquiridas do que era uma antiga sesmaria.
O número de agências bancárias em Campinas aumentou mais nos últimos cinco anos do que a média nacional. Campinas tem 240 agencias bancárias e 55 instituições financeiras.
A Região é a responsável por 10% de toda a produção agroindustrial de São Paulo, assim como é a primeira colocada no País quanto ao uso de sementes de alta qualidade e mecanização agrícola.
A Região está incluída no segundo maior mercado consumidor do Brasil, com um total de 14.550 lojas só no comércio varejista de Campinas.
É a quinta maior praça bancária do País em valor de compensação de cheques.
Há um total de 17 mil empresas ligadas ao Setor Terciário. Quanto à ocupação da mão-de-obra campineira, 65% está alocada no Setor de Comércio e Serviços; 34% na Indústria e 1% na Agricultura.

Artes e Lazer

A cidade possui 10 museus, 90 bibliotecas, 21 cinemas, 9 teatros, 4 shoppings, 10 galerias de arte, 2 grandes casas de shows, 17 praças de esportes municipais, 2 ginásios de esportes, 1.250 praças públicas, 16 parques urbanizados, 1 kartódromo e 1observatório municipal ("Jean Nicolini"). Cidade onde nasceu o maestro e compositor lírico Carlos Gomes (autor da ópera "O Guarani"), Campinas possui uma Orquestra Sinfônica Municipal reconhecida nacionalmente.

25 de junho de 2008

Eu e meu namorado no Período Neolítico

Giuseppe Pellizza da Volpedo
O amor de alguém é um presente tão inesperado e tão pouco merecido que devemos espantar-nos que não no-lo retirem mais cedo. Não estou inquieto por aqueles que ainda não conheces, ao encontro de quem vais e que porventura te esperam: aquele que eles vão conhecer será diferente daquele que eu julguei conhecer e creio amar. Não se possui ninguém (mesmo os que pecam não o conseguem) e, sendo a arte a única forma de posse verdadeira, o que importa é recriar um ser e não prendê-lo.
Marguerite Yourcenar (1903-1987)

23 de junho de 2008

Arte Predadora

A literatura é uma arte predadora. Ela aniquila o real de forma simbólica, substituindo-o por uma irrealidade à qual dá vida fictícia, com a fantasia e as palavras, um artifício armado com materiais sempre saqueados à vida. Mas geralmente esta operação é discreta, e frequentemente inconsciente, pois quem escreve rouba e pilha - e manipula e deforma - o vivido, a experiência real, mais por instinto e intuição do que por deliberação consciente; logo, a sua arte, a sua feitiçaria, a sua prestidigitação verbal estendem uns véus impenetráveis sobre o furtado. Se tiver talento, o delito fica impune".
Mario Vargas Llosa

22 de junho de 2008

Indicação de livro: Rio das Flores, de Miguel Tavares

Sevilha, 1915 - Vale do Paraíba, 1945: trinta anos da história do século XX correm ao longo das páginas deste romance, com cenário no Alentejo, Espanha e Brasil. Através da saga dos Ribera Flores, proprietários rurais alentejanos, somos transportados para os anos tumultuosos da primeira metade de um século marcado por ditaduras e confrontos sangrentos, onde o caminho que conduz à liberdade parece demasiado estreito e o preço a pagar demasiado alto. Entre o amor comum à terra que os viu nascer e o apelo pelo novo e desconhecido, entre os amores e desamores de uma vida e o confronto de ideias que os separam, dois irmãos seguem percursos diferentes, cada um deles buscando à sua maneira o lugar da coerência e da felicidade.
Rio das Flores resulta de um minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa histórica, que serve de pano de fundo a um enredo de amores, paixões, apego à terra e às suas tradições e, simultaneamente, à vontade de mudar a ordem estabelecida das coisas. Três gerações sucedem-se na mesma casa de família, tentando manter imutável o que a terra uniu, no meio da turbulência causada por décadas de paixões e ódios como o mundo nunca havia visto. No final sobrevivem os que não se desviaram do seu caminho.

21 de junho de 2008

Não Despertem

Não Despertem:
despertem
Não despertem a mulher que mora em mim.
Deixem-na sufocada, inviolável, intransponível.
Deixem-na no silêncio, sem espanto
como já vinha há tanto.
Para que arrastá-la ao pranto?

Sou como folha que baila no vento,
olhar perdido nos cantos das ruas,
molhando campos sem pedir licença.

Outrora firme como rocha bruta,
hoje porosa areia diminuta,
a minha essência permanece inteira:
Sem berço ou bandeira,
invento versos para não morrer.

MJSpeglich

19 de junho de 2008

Conflito de Gerações

Falando sobre conflitos de gerações, o médico inglês Ronald Gibson, começou uma conferência citando quatro frases:
1. "Nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, caçoa das autoridades e não tem o menor respeito pelos mais velhos. Nossos filhos hoje, são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem a seus pais e são simplesmente maus".
2. "Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque essa juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível".
3. "Nosso mundo atingiu seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais seus pais. O fim do mundo não pode estar muito longe".
4. "Essa juventude está estragada até o fundo do coração. Os jovens são malfeitores e preguiçosos. Eles jamais serão como a juventude de antigamente. A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura".
Após ter lido as quatro citações, ficou muito satisfeito com a aprovação que os espectadores davam às frases.
Então, o médico revelou a origem delas:
  • A primeira é de Sócrates (470-399 a.C)
  • A segunda é de Hesíodo (720 a.C)
  • A terceira é de um sacerdote do ano 2000 a.C.
  • E a quarta estava escrito em um vaso de argila descoberto nas ruínas da Babilônia e tem mais de 4000 anos de existência.
Conclusão: Por estarem absolutamente adequadas à maioria dos jovens dos dias de hoje, vemos que nada mudou desde então, a juventude é sempre bem parecida através das gerações humanas.

18 de junho de 2008

Canção da Alma Caiada

Rafal Olbinski
Aprendi desde criança
Que é melhor me calar
E dançar conforme a dança
Do que jamais ousar

Mas às vezes pressinto
Que não me enquadro na lei:
Minto sobre o que sinto
E esqueço tudo o que sei.

Só comigo ouso lutar,
Sem me poder vencer:
Tento afogar no mar
O fogo em que quero arder.

De dia caio minh'alma
Só à noite caio em mim
por isso me falta calma
e vivo inquieto assim.

Antonio Cicero

17 de junho de 2008

Momento Reflexão:

“As flores desabrocham
para continuar a viver,
pois reter é perecer.”

Khalil Gibran (1883-1931)
“Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber. E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim usando a nossa própria solidão, a Vida nos deixou a imensa paixão para aproveitar cada instante, com toda a intensidade”.
Khalil Gibran (1883-1931)

15 de junho de 2008

Resiliência: o que é isso?

Resiliência é um conceito da física, utilizado primeiramente pela engenharia, que se refere à capacidade de um material sofrer tensão e recuperar o seu estado normal, quando suspenso o “estado de risco”.
No campo das relações humanas, é compreendido como um processo que excede a simples superação de experiências, já que permite ao indivíduo sair fortalecido por elas, superar, o que necessariamente promoveria a saúde mental.
Está sendo bastante comum escutar nas empresas, nas escolas e a imprensa falar de que temos que ser resilientes. E os resilientes são aqueles que são capazes de vencer as dificuldades, os obstáculos, por mais fortes e traumáticos que elas sejam. Pode ser desde um desemprego inesperado, a morte de um parente querido, a separação dos pais, a repetência na escola ou uma catástrofe como um tsunami. Aliás, já se encontram muitos livros abordando o assunto.
Eu sou uma super resilente pois sobrevivi dentro de uma família totalmente perversa.

14 de junho de 2008

O que você ama define quem você é...

Sou uma mulher de muitos amores... Amo os Ipês, mas amo também caminhar sozinha. Muitas pessoas levam seus cães a passear. Eu levo meus olhos e meus pensamentos.

Sutileza

Sutil é uma pessoa que chega,
olha, não fala nada
e nunca mais sai de nossas vidas...

A Natureza está pedindo socorro!


5 de junho de 2008

Pedaços

Emma Florence Harrison
Os amores desta minha vida,
Foram poucos, mas escaparam,
Por entre os dedos...
Como água.
Como se eu não merecesse.

Se me calo, invalido o que vale a pena ser dito!
Se falo, receio que o começo... Chegará ao fim.
E nesta solidão vou ter ao vivo e a cores...
Toda a minha esperança jogada fora.

Sonhar não se paga imposto.
Sei que errei em meus sonhos, não contabilizei:
Que amar tem que ser a dois...
Se curtindo...
Se apaixonando...
Joguei pelo ralo o que não soube valorizar!
Tenho a lembrança que me deixaste...
Isto já é o bastante.

MJSpeglich

2 de junho de 2008

Como se moço e não bem velho eu fosse

Caspar David Friedrich
Como se moço e não bem velho eu fosse,
Uma nova ilusão veio animar-me,
Na minh'alma floriu um novo carme,
O meu ser para o céu alcandorou-se.

Ouvi gritos em mim como um alarme.
E o meu olhar, outrora suave e doce,
Nas ânsias de escalar o azul, tornou-se
Todo em raios, que vinham desolar-me.

Vi-me no cimo eterno da montanha
Tentando unir ao peito a luz dos círios
Que brilhavam na paz da noite estranha.

Acordei do áureo sonho em sobressalto;
Do céu tombei ao caos dos meus martírios,
Sem saber para que subi tão alto...

Alphonsus de Guimaraens (1870-1921)