28 de dezembro de 2008

O tempo cura tudo

Tudo cura o tempo,
tudo faz esquecer,
tudo gasta,
tudo digere,
tudo acaba.

Não há amor tão robusto que chegue a ser velho.
O tempo tira a novidade às coisas: descobre-lhe os defeitos,
enfastia-lhe o gosto, e bastam que sejam usadas para não serem as mesmas.

O mesmo amar é causa de não amar,
e o ter amado muito,
de amar menos.

Padre Antonio Vieira (1608-1697)

Nenhum comentário: