30 de outubro de 2008

Ontem à noite

Fotografo: Joao Estevão Andrade De Freitas (Jefras)
Ontem - sozinhos - eu e tu sentados,
Nos contemplamos quando a noite veio:
Queixosa e mansa a viração dos prados
Beijava o rosto e te afagava o seio,
Que palpitava como ao longe o mar...
E lá no céu esses rubis pregados
Brilhavam menos que teu vivo olhar!

Com a mão nas minhas, no silêncio augusto,
Tu me falavas sem mentido susto,
E nunca a virgem que a paixão revela,
Passou-me em sonhos tão formosa assim!
Vendo essa noite pura, e a ti tão bela,
Eu disse aos astros: - dai o céu a ela!
Disse teus olhos: - dai amor pr'a mim!

Victor Hugo (1802-1885)
Tradução de: Casimiro de Abreu

Nenhum comentário: